Os melhores clipes de 2018

Que 2018 teve grandes hits grudados em nossa cabeça por dias, é fato! Mas os vídeo clipes não deixaram nada à desejar também.

Rolou muita cor, muita dança, vários posicionamentos políticos, muitos efeitos cinematográficos, muita produção e tudo isso em três idiomas! Escolhemos o que mais nos impressionaram durante o ano, seja pela história retratada, sejam pelos efeitos incríveis: 

Be Good To Me – Jacob Banks  

Jacob Banks, cantor e compositor da Inglaterra, lançou Village, segundo álbum de sua carreira, no começo de novembro. O vídeo de Be Good To Me resume em poucos cenários (e em fortes cenas) como é ser um homem negro dentro da supremacia branca, tendo o personagem caçado por outros homens negros que são influenciados pelo big boss. A marcante voz de Jacob pede piedade no decorrer da música e é salvo pela suavidade de Seinabo Sey. Essa já é a segunda parceria dos dois, que teve início no último trabalho da cantora sueca, I’m a Dream, em Remember.

Boca de Lobo – Criolo

Brasil. Centro de São Paulo. 2018. O que você consegue imaginar quando pensa nessas 3 palavras? Criolo parece nos mostrar tudo o que tentamos não enxergar. O vídeo, numa construção de cenas incríveis e da maneira mais direta possível, é um chocante passeio sobre as polêmicas sociais e políticas dos últimos meses. De segundo em segundo, referências são mostradas e, depois, “empesteadas” por grandes animais e algumas pragas. Sabemos que Criolo é um artista super engajado nas causas que acredita e tem um tremendo poder de voz na cena do hip hop (por isso não deveria ser surpresa), mas é quase impossível assitir Boca de Lobo e não nos impressionar toda vez.

BLUESMAN – Baco Exú do Blues

“Bluesman” não deveria estar nesta lista, mas vamos combinar que é impossível ficar indiferente à obra de Baco Exu do Blues. O curta-metragem percorre três faixas do álbum e prende a atenção pela riqueza de detalhes e pela intensidade da mensagem passada. O jogo de luz, a variação da tonalidade das cores e os ângulos gravados são os toques especiais que deixam a fotografia impecável em cada cena apresentada. Sem contar na presença da reafirmação cultural e em toda a representatividade que acompanham o filme e o álbum.

Consequences – Camila Cabello

Depois do mega hit “Havana”, a queridinha latino-americana Camila Cabello lançou um clipe super delicado, de uma música que mexe com os sentimentos de qualquer pessoa que já teve o coração partido. Lembrando os típicos filmes românticos, onde sempre acontece a clássica cena no Central Park em NY, “Consequences” faz uma comparação sutil dos momentos de um relacionamento com as estações do ano.

Delicate – Taylor Swift

Com o lançamento de reputation, Taylor Swift resolveu abraçar (e debochar) a “má fama” que a mídia deu à ela. Delicate é uma das melhores músicas representando tudo isso. O vídeo, com uma Taylor invisível e serelepiando por aí, deixa um leve gostinho de shade às críticas e, por outro lado, a coragem de ser quem é, quando todo mundo diz o contrário.

Malamente – Rosalía

O mainstream ganhou um novo ritmo e uma autêntica artista esse ano! A cantora e compositora catalã Rosalía, indicada ao Grammy em 2017, colocou o flamenco em destaque misturando sua origem latina com muito pop e R&B. Seu recente álbum, El Mal Querer, inspirado num romance flamenco do século XIII, foi extremamente projetado para ser uma experiência e inovar o conceito audiovisual. Malamente é o primeiro capítulo dessa história, repleto de detalhes que nos levam para além da interpretação. Vale ficar de olho!

Medicina – Anitta

Quando poderíamos imaginar que uma cantora brasileira chegaria ao conhecimento internacional com tão pouco tempo? Talvez a receita do sucesso seja inovar a cada trabalho lançado. Vamos combinar que indianas e japonesas dançando uma música latina é um tanto quanto diferente. Com figurinos impecáveis e muita cor, o clipe, considerado uns dos mais bonitos já produzidos pela cantora, conta com cenários deslumbrantes e com uma música que consegue “curar” qualquer diferença cultural existente no mundo, unindo pessoas de nacionalidades e culturas diferentes.

Say Something – Justin Timberlake

Produzir e gravar um clipe não é uma tarefa nada fácil. Agora, imagine uma gravação sem cortes. Indo totalmente na contramão de tudo o que já fez, e do que a maioria dos artistas fazem, Justin Timberlake resolveu fazer diferente e produziu um clipe todo em plano-sequência. Apostando no lado “real” da coisa, “Say Something” foi gravado em apenas um take e com parte dos instrumentais e vozes captadas ao vivo. O clipe merece ser assistido e aplaudido de pé pela sua dificuldade de produção.

tá com dólar, tá com deus – francisco, el hombre

‘’Pra pagar o Natal, eu chamo o cheque especial’’, QUEM NUNCA? Com o ~conturbado~cenário político que nos acompanha há tempos, letra e vídeo não poderiam ser mais pontuais. francisco, el hombre mostra a história de um trabalhador vivendo sua rotina, o desemprego e a relação humana na ‘’vida perfeita’’ . Assim como a música soa, os bonecos parecem estar no ritmo de uma alegoria de carnaval. Para bom entendedor…

thank u, next – Ariana Grande 

Ariana Grande nunca decepciona e se você ainda não viu o clipe de “Thank U, Next”, está perdendo tempo! Depois de todo o buzz causado na internet e de ficar nos trending topics no Twitter antes mesmo do lançamento, a pequena de voz grande mostrou como se faz um clipe de respeito, quebrando recordes e se tornando a artista com vídeo mais assistido em 24h. No clipe você encontra várias referências da cultura pop e de filmes como “Garotas Malvadas”, “As apimentadas”, “Legalmente Loira” e “De repente 30”.

Por Beatrice Santos e Thayná Santos

Sign in to post your comment or sign-up if you don't have any account.

Leave a Comment