4 dicas de como trabalhar com música sem ser músico

Você é apaixonado(a) por música? Eu tenho quase certeza que você respondeu sim para essa pergunta. Agora, você já imaginou como seria trabalhar com música? Pode abrir esse coraçãozinho e falar a verdade. A gente aceita até aquele sonho antigo de ser uma estrela internacional ou a de fazer parte de uma boy ou girl band, como Backstreet Boys, Spice Girls e Rouge.

E se eu te disser que esse desejo não precisa mais ficar trancado e esquecido a sete chaves. Isso vale para você que tem pouco conhecimento na área. Se realmente quiser trabalhar com isso você tem chances de encontrar algo que possa fazer.

Eu sou da área de Publicidade e Propaganda e descobri aqui na 2id que mais do que ser o expert sobre determinado assunto, existem coisas que valem bem mais que ser o “sabe tudo”, como a força de vontade e o desejo de aprender e ajudar.

Depois que a gente decide trabalhar com música, sempre surge a mesma dúvida que é: por onde começar?

Pensando em te mostrar a luz no fim do túnel e talvez te dar um empurrãozinho, separamos 4 dicas que vão te ajudar a trabalhar com música, mesmo sem ser músico. Dá só uma olhada:

Dica 1: Curso? Workshop? Quero!

Music Branding: música e marca, casais inteligentes enriquecem juntos.

Durante o tempo da faculdade eu era a “doida” dos cursos, workshops e palestras. Conhecimento sempre é bom e nunca é demais, não é mesmo?

Um bom jeito de se “infiltrar” no mercado que você quer atuar é estar em contato com gente que entende do assunto. Isso vai fazer com que além de aprender coisas novas, você também conheça pessoas que podem te ajudar e te orientar no futuro.

Antes era bem mais difícil encontrar cursos relacionados a música, mas como usá-la como ferramenta de marketing está se tornando uma tendência, os profissionais dessa área estão realizando cada vez mais cursos para poder atender a demanda do mercado.

Você consegue encontrar cursos sobre Music Branding, Music Business, exportação de música, direitos autorais, técnicas de áudio, pós-produção, equipamentos e mais uma infinidade de áreas. Vale de tudo!

Como a gente sabe que esses cursos são importantes, a 2id em parceria com a BM&A realiza cursos sobre Music Branding, onde nosso CEO Danrley Calabrezi fala um pouco sobre o mercado e da mais dicas de como trabalhar com música.

Então comece a pesquisa, descubra qual área tem mais a ver com você e se joga nos cursos! 

Dica 2: Trabalhar com música exige que você fique de olho em TUDO o que acontece.

O mundo da música é uma caixa de surpresas e é muito movimentado. A todo momento temos novas parcerias, premiações, festivais e lançamento de novos álbuns. Temos também grupos e bandas sendo formadas e também se separando, artistas independentes surgindo e artistas consagrados indo embora cedo demais.

Temos novidades nas formas de produção, onde a inteligência artificial tem tido grande destaque e velhos hábitos como o vinil e a fita k7 ganhando cara nova. Isso tudo influência nos altos e baixos que a indústria sofre a cada novidade.

Tudo isso que eu falei aqui em cima não é nem 10% do que acontece nesse meio. Por isso é preciso se dedicar e ter sede de conhecimento, ler sobre tudo, pesquisar, assistir, ouvir. Resumindo, você deve mergulhar de cabeça no assunto. Porque quanto mais informação sobre música e os acontecimentos no mundo fonográfico você tiver, mais bagagem você terá quando surgir um job que você possa fazer.

Além de ler bastante, para trabalhar com música você também tem que ouvir de tudo um pouco. Minha dica é ouvir desde de Funk até MPB. “Ah, mas eu não gosto de ouvir gênero x e y”. Sinto informar, mas quando se trabalha com música, você pode até não gostar de um determinado estilo musical, mas você precisa pelo menos conhecer um pouco sobre o estilo e os artistas que se destacam.

Dica 3: Exercite o que aprendeu.

Depois que você adquire o conhecimento é muito importante que você o coloque em prática. Tudo o que não é usado com frequência acaba sendo esquecido. Por isso, mesmo que você faça exercícios considerados “bobos”, vale a pena tirar um tempo do seu dia para isso.

Essa vai para você que quer se tornar um pouco mais crítico. Um bom exercício é ouvir álbuns antigos e novos e depois fazer uma resenha sobre o que você achou. Isso vai melhorar suas questões técnicas, levando em consideração seu gosto pessoal.

Que tal aproveitar as premiações? Quando tiver algum evento relacionado a música e onde a escolha é feita com profissionais da área, como acontece no Grammy, você pode olhar as indicações, fazer uma pesquisa sobre elas e fazer suas apostas de acordo com seu conhecimento.

Caso te ajude, você também pode se gravar falando sobre os assuntos. Isso porque muitos estudos mostram que você aprende melhor quando está “ensinando” o que aprendeu.

Dica 4: Tenha foco!

Eu já vi muita gente se perder no caminho por falta de foco. Quando você quer fazer algo, tem que ter em mente que precisa se organizar. Então planeje-se e estude muito. Isso fará com que você não seja “engolido” pelo mercado que a cada dia exige mais e mais dos profissionais.

Depois que decidir o em qual área quer trabalhar e fazer os cursos necessários é hora de procurar trabalhos pequenos para você por em prática o que aprendeu. Um exemplo pode ser trabalhar como curador freelancer, trabalhar no backstage de algum show, para entender como as coisas funcionam desde a sua montagem e por que não como assistente de som.

O que quero dizer é que assim que decidir o que quer fazer. Você deve correr atrás do aperfeiçoamento profissional. Lembre-se: Ninguém consegue alcançar a excelência se não tiver experiência.

Sign in to post your comment or sign-up if you don't have any account.

Leave a Comment